quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Orelhas de açucareiro

O Meireles, macaco sagui em forma de gente, tinha duas peculiaridades: sabia tocar na viola o início (mas apenas o início) de mais de 50 canções e, num misto de engenho artesanal e vaidade, tinha por hábito colar a parte superior das suas orelhas de abano à cabeça, sempre que à noite saía com os amigos. Assim se sentia mais hominídeo.
Noite de ano novo. Depois de terem sido apanhados pela meia-noite num semáforo, o Meireles e os amigos resolveram tentar entrar no bar da moda (chamado assim mesmo, “O Bar da Moda”), para aí rasgarem a noite até de lá sair o dia.
Graças à “cara de uísque velho” do Leonel (capaz de fazer entrar um clã de ciganos numa casa de chá de "tias" de Cascais), receberam o sinal de chamada do porteiro.
Quando se preparavam para entrar, o Jaime diz lá de trás:
- Ó pá, cancela! Já ninguém entra.
- Ninguém entra? Mas porquê?
- Descolou-se uma orelha ao Meireles.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

O verdadeiro representante do Natal

Decidiu que, dali em diante, o Pai Natal seria em tudo substituído pelo Menino Jesus, o verdadeiro representante do Natal.
Acontece que o Menino, em virtude da natural fraqueza dos seus bracinhos, não aguentou muito tempo pendurado da varanda, vindo escaqueirar-se com estrondo no passeio.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Wording na Babilónia

No edifício das Nações Unidas, as delegações mastigavam mais uma resolução, tropeçando em cada palavra.
Enquanto Cuba e os Estados Unidos lutavam por uma vírgula, a micose que o obscuro delegado trouxera de casa lutava por uma virilha.
Levantou-se para ir à casa de banho. No urinol verteu águas, em uníssono, com um togolês, um sueco e um panamiano.
Ao voltar para o lugar, reparou na impassibilidade do sihk que guardava a entrada da sala do plenário, em claro contraste com o frenesim dos corredores.
Durante a longa declaração de princípios do delegado egípcio, fechou os olhos e voltou por momentos à infância.
Quando o delegado da Austrália iniciou a sua intervenção com um “Thank you, mister Chairman”, levantou-se de um salto e começou a soprar línguas de sogra e a lançar serpentinas para os delegados vizinhos.
Estava num circo e não há melhor lugar do que um circo para serpentinas e línguas de sogra.
Quando a folia descontrolada começou a tomar conta do plenário, retirou-se discretamente para ir tomar um café em sossego.
À porta da sala, o sihk continuava tão imperturbável como sempre.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Campa apalavrada

Enquanto em cima as duas mulheres reclamavam a mesma campa, em baixo os dois conjuntos de ossadas batiam-se encarniçadamente pelo lugar.

domingo, 27 de dezembro de 2009

Selecção natural

No pântano seco, os jacarés moribundos amontoam-se para morrerem juntos.
Na pilha da agonia, vão-se calando os movimentos.
Até que, debaixo do monte de carcaças, uma cauda começa a abanar vigorosamente.
O pequeno crocodilo da Lacoste fura então por ali acima para se ir alapar a uma nova camisola.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Advento

Dois pastores, ao verem o Menino:
- É a carinha chapada de Deus Pai!
- Mas também tem uns ares do Espírito Santo…

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

A prenda única

No dia de Natal, o menino foi o primeiro a acordar.
Tropeçou no pai, que o autorizou a procurar a prenda única.
Não desceu as escadas, porque as não havia.
Procurou a prenda à volta da árvore de Natal, um pinheiro raquítico espetado a um canto da sala que também era quarto.
- Ó pai, não está aqui nenhuma prenda!
Mas estava, e bem à frente dos seus olhos. Era a árvore de Natal.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Lá na estratosfera

Na noite de Consoada, o fumo do madeiro despediu-se da aldeia beirã e foi juntar-se, lá na estratosfera, ao fumo da fogueira aborígene.

Evolução

Era uma vez, há muitos milhões de anos, uma célula que se multiplicou por dois, por quatro, por dezasseis e assim sucessivamente, até chegar à matéria que constitui o Bidoeirense, que acaba de vencer o Ranha no seu estádio do Outeiro Agudo.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

O sorriso

O homem triste abandona-se às paredes cruas da estação de metro.
Uma rapariga de olhar casto - donzela medieval saída de uma floresta encantada - oferece-lhe um sorriso iluminado, que ele não retribui. A ideia que leva é fixa.
Já na ambulância, sente o corpo a escorregar pelos pulsos, árvore-borracheira vertendo resina.
Ao recordar aquele sorriso redentor, tão cheio de futuro, decide lutar pela vida.
Mas não foge ao último suspiro. Inusitadamente feliz.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Discussãozita

- A 500 metros, vire à esquerda!
- Daqui ali não são 500 metros, são pouco mais de 300.
- Desculpe, mas são exactamente 500 metros.
- Nem pensar!
Sem paciência para mais uma discussão de contornos conjugais, a menina do GPS decide então amuar:
- Cálculo em curso!

Pretendentes

A filha do capitalista estava inconsolável:
- Eles só me querem pela minha bondade e beleza!...

domingo, 20 de dezembro de 2009

VHS

Via o mundo em VHS, com o som distorcido e a imagem granulada.
No dia em que a fita se rompeu, teve a trombose.

Darth Vader

A professora primária de Anakin Skywalker pressentiu que estava perante um Jedi diferente quando, num exercício de desenho, reparou que ele pintava a neve de preto.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Sinal distintivo

-Fica então combinado, às 15h00 no hall de entrada da estação.
- E como é que o reconheço?
- Estarei de calças.
- Eu também.
Encontraram-se logo, pois eram os únicos vestidos.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

O guerreiro

Beijou a mulher e os filhos (ainda dormidos), limpou as armas, aparelhou a montada e, louvando os deuses, partiu para a guerra.
A meio do caminho, voltou para trás. Tinha-se esquecido da escova de dentes.

No cimo da duna

Caminhava há três dias e três noites no deserto, fugindo da presença dos outros para procurar a sua verdade no mais fundo do seu ser.
Sentou-se no cimo de uma duna, contemplou o imenso mar de areia e, pela primeira vez na vida, sentiu-se parte de um plano maior.
A sua paz de espírito seria completa, não fora um pequeno senão: como é que ali, entre a imensidão do horizonte e a profundidade da alma, haveria de comer uma boa chispalhada?

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Anedota

- Sabes aquela do homem com duas vesículas?
- Não.
- Nem eu.
- Graças a Deus!...

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Última imagem

Antes de morrer, a última imagem que lhe veio à cabeça não foi a dos netos queridos nem a da mãe que nunca esquecera, mas sim a do Gregório dos Santos, o jogador do União de Lisboa que fora o cromo mais difícil da sua infância feliz.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Lawrence da Arábica

Vivia grandes aventuras, cavalgando no deserto, sabotando carris e assaltando fortalezas.
Mas sempre à mesa do café.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Passagem

Poisado no lugar certo do fio da planície, o pássaro nunca falhava a passagem do comboio das 17h30.

Aluguer

Aluga-se T1 espaçoso, totalmente mobilado e próximo da Faculdade de Letras, a meninas universitárias que não sejam umas badalhocas. Favor contactar, a horas decentes, o 239785966.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Beliscão

Beliscou-se para ver se sonhava. Mas não sabia dizer ao certo se o beliscão fora real ou sonhado.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A Branca de Neve e os quatro anões

O primeiro morreu atropelado por um Toyota Corolla, o segundo de morte súbita e o terceiro esmagado por uma suicida de 90 quilos, quando voltava a casa a buscar as chaves do carro (também um Toyota Corolla, por sinal).

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Ralo

Ao tirar os cabelos do ralo da banheira, entrou-lhe pela casa o mar todo.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Voz interior

O psicólogo aconselhou-o a procurar a sua voz interior.
Agora passa as noites em branco a tentar ouvir-se a ressonar.

Lendiolândia

Na cabeleira encrespada do Candidito Birra, os piolhos passeavam aos pares de pata dada, faziam jogging e levavam as pequenas lêndias a brincar no parque do couro cabeludo. Alguns subiam ao cocuruto da cabeça para admirarem, de tão privilegiado miradouro, a paisagem circundante.

sábado, 5 de dezembro de 2009

O número

O pequeno judeu perguntou ao avô que número era aquele que tinha no antebraço. O velho respondeu-lhe que era um número de telefone.
O miúdo discou várias vezes a sequência de algarismos, mas não conseguiu obter qualquer ligação. É que aquele número de série só permitia ligar aos mortos.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Êxodo rural

Aquando da abertura da época de caça, os animais mais avisados mudam-se para a cidade.
Aí enfrentam alguns problemas: os apartamentos são particularmente caros para os lobos solitários, os veados não passam com os cornos nas portas mais estreitas e há mesmo casos de perdizes que são atropeladas nas passadeiras.
Apesar das dificuldades de adaptação, algumas espécies decidem ficar a viver na cidade: embora as lebres tendam a enveredar pela prostituição, os javalis estabelecem-se facilmente como advogados e os patos bravos revelam uma especial inclinação para o controlo dos órgãos autárquicos.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Crime

A câmara de vigilância apanhou-o a deixar na loja, de forma premeditada, um objecto valioso.
Foi condenado pela prática do crime de generosidade sob forma agravada.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Fábulas com entrecosto

A lebre pediu uma desforra à tartaruga, mas voltou a adormecer.
A cigarra, que tinha finalmente começado a trabalhar, caiu de um andaime.
Já o corvo, mais avisado, desenvolveu dotes de ventríloquo para não deixar cair o queijo.

Hedonismo

Adiantava o despertador só para saborear o facto de poder dormir mais uma hora.

sábado, 28 de novembro de 2009

Num bote à deriva

Embora estivessem a morrer de fome, a sua rígida educação britânica impedia-os de sucumbirem ao instinto assassino.
Acordaram então que, de forma civilizada, se comeriam aos poucos um ao outro.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Marcha silenciosa

As ruas da cidade encheram-se de aspiradores, micro-ondas, chaleiras, berbequins, frigoríficos, esquentadores, torradeiras…
Os electrodomésticos, marchando lado a lado em silêncio (pois estavam desligados), protestavam contra o facto de serem usados como objectos.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A guerra das tribos

Com um golpe certeiro da crista endurecida com gel ultra-forte, o punk abriu o sobrolho ao DJ Rule que, a partir daquela derrota na grande batalha da Rua Marechal Teixeira Rebelo, passou a ser conhecido por DJ Ruled.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A real dimensão da crise

O influente economista só se apercebeu da real dimensão da crise quando a Fada dos Dentes deixou oitenta cêntimos pelo dente de leite do mais novo em vez dos dois euros habituais.

domingo, 22 de novembro de 2009

Teatro de sombras

Fora condenado, por parricídio, a uma pena de vinte anos.
Na prisão, com contraplacado da oficina fez um cavalo de Tróia, de cujo ventre desciam por cordas uns soldados de papel maché. Os outros bonecos eram de cartão, com articulações de arame. Do desamparado Telémaco ao monstruoso Ciclope.
Era num lençol grande que representava a “Odisseia”. Uma ou outra vez em público, na cantina da penitenciária. Mas quase sempre no recesso da cela, à luz transfiguradora do candeeiro de petróleo.
Durante a longa pena, nunca se confinou às quatro paredes da cela. Cruzou os mesmos mares que o seu Ulisses de cartão navegou.
Quando o libertaram, voltou para a sua Desdémona, a mãe viúva que amava mais do que tudo.
Foi encontrá-la cancerosa, acabada.
Compreendeu então que a justiça dos homens é bem mais cruel do que a dos deuses. E não tardou muito até que cometesse outro crime, trocando de novo a prisão da realidade pela liberdade da fantasia.

sábado, 21 de novembro de 2009

Minimal repetitivo

- Come a sopa!
- Nããã!
- Come a sopa!
- Nããã!
- Co-me a so-pa!
- Nãããããã!
- COME A SOPA!
- NÃÃÃÃÃÃ!
- CO-ME A SO-PA!
- NÃÃÃ-ÃÃÃ-ÃÃÃ!
- Come a sopa!
- Nããã!
- Come a sopa!
- Nããã!
...

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

O que farias se fosses o dono do mundo?

Acabava com a fome e com as guerras e mandava diminuir o tamanho à cabeça da Teresa Guilherme.
Hugo Videira, 9 anos

Convenção sobre os Direitos da Criança

- Não sabes que tens direito de ir à escola?
- O que é isso, um direito?

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Ceroulas

Foi enterrado com vida.
Ao retomar a consciência, berrou e bateu no caixão até chamar a atenção dos coveiros à superfície.
Quando se aprestavam a libertá-lo da caixa que separa o pó do pó, foi atingido por um forte ataque de asma, morrendo logo a seguir, num paroxismo lúcido em que pensou na força da inércia e nas ceroulas que era obrigado a usar em pequeno.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Raining chats and blogs

Sentava-se frente ao computador, ligava-se à internet e deixava que as opiniões lhe chovessem em cima.

Alcoolismo

Só tinha pé em água-pé.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Decapante 2 em 1

Decape o esófago e o gradeamento da sua vivenda com Capri-Sonne Cola Mix.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Salão mundano

Arredondando o fato claro, o pequeno homem de negócios argentino entra na sala de festas do ayuntamiento pelo braço de uma modelo de luxuosa compleição.
Ao passar pelo diplomata europeu com que partilha falsas intimidades em courts de ténis, estende-lhe a mão sapuda e, piscando-lhe um olho cúmplice, resume-lhe num par de vocábulos aquela esplendorosa criatura de salão mundano:
- Buenas carnes! Buenas carnes!

Toc-toc!

Numa noitada de copos com São Tiago, São Pedro perdeu as chaves do paraíso.
É por isso que é tão difícil entrar no céu.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Bilhete de despedida

Querida,
Hoje é a minha vez de explodir. Vou Alá e já venho. Deixo-te o meu braço esquerdo, até ao nosso reencontro no paraíso. Quando lá chegares, não ligues às 72 virgens, que nada significam para mim. Cuida bem dos nossos rebentos (salvo seja!).
Irfan Atta

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Mega fome

Para não ser o único a não conseguir dormir, o desempregado de longa duração pedalava todos os domingos de madrugada, de megafone em punho, pelo bairro rico das grandes casas adormecidas.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Títulos

O Presidente do Uganda intitulou-se His Excellency President for Life, Field Marshal Al Hadji Doctor Idi Amin, VC, DSO, MC, Lord of All the Beasts of the Earth and Fishes of the Sea, Conqueror of the British Empire in Africa in General and Uganda in Particular.
O Presidente de Portugal foi intitulado, por populares e sindicalistas, Cavaco e Silva.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A fisga de David

No Maio de 68, à mistura com os paralelepípedos já voavam pelas ruas de Paris pedaços do Muro de Berlim.

domingo, 8 de novembro de 2009

A transmissão do ABC nas escolas

O Ministério da Saúde avisa que o principal veículo de transmissão nas escolas da Gripe A, da Hepatite B e da Meningite C são as cartas Pokémon.

sábado, 7 de novembro de 2009

O desperdício da fala

- Olá, amor.
- Olá, já chegaste do trabalho?
- Não, estou agora a sair. E tu?
- Vim fazer compras.
- Levaste o teu carro ou o meu?
- Vim a pé, apeteceu-me andar um pouco.
- Eu chego dentro de meia hora.
- E eu demoro mais uns quinze minutos.
- Então já falamos.
- Está bem.

Caderno de duas linhas

Tinham-lhe ensinado que Deus escrevia sempre direito, mas a avaliar pelos noticiários Ele já só deveria ditar a lição.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sonho de emigrante

Fora a única da sua pequena cidade que não regressara envergonhada do país dos gringos. Trabalhara mesmo para algumas estrelas de cinema que, por ser gorda e carinhosa, a contratavam para dormir com os seus cães.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

À letra

Desde que fugiu de casa, o rapaz desguedelhado contra o mundo já caminhou quase toda a sua revolta. Chegado a uma herdade, espreita a casa ao fundo. Cuidado com o cão! - avisa a tabuleta do portão semi-aberto.
Ao internar-se, é surpreendido pelo rosnante ataque de guerrilha. Escuda-se com o saco de lona e fecha o portão atrás de si.
Face à ameaça, arranca a placa e deita-a para a valeta, dirigindo-se então para a mansão sob o olhar meigo do impávido canino.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Campanário

Só quando se afastava da pequena vila é que percebeu como é que o velhote do banco de jardim lhe dissera as horas certas sem consultar o relógio de pulso.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Materiais

O velho lobo-do-mar tinha dente de ouro, olho de vidro, braço de ferro e perna de pau.

O vizinho

Cumprimentou o vizinho, matou-o à porta com um picador de gelo, entrou-lhe em casa e bebeu-lhe um “J&B” on the rocks, reafirmando assim a comprovada ligação entre gelo e morte.
Vasculhou-lhe as cassetes de vídeo empilhadas junto à lareira e visionou dez minutos de uma pornochanchada sem interesse. Espreitou debaixo da cama, desejoso de sentir aquele cheiro a penico apurado no banho-maria do tempo oculto. Correu os dedos pelas prateleiras do homem cuja gordura amarelada extravasava da retalhada pele de tumbadora.
- Thomas Mann… um Ionescu… um Vilhena…
Gostava de falar sozinho. Sempre gostara de falar sozinho. Para mais numa casa vazia, que tão bem resguarda o tempo que a habita.
Livre de presenças e ruídos, praticava a necrófila curiosidade de vizinho.
Tocaram à porta. O som da campainha desligou-lhe a corrente de deambulações. Levantou-se com um arrastado Já vaaaaaai! Abriu a porta, deixou escapar um frio Olá vizinho e começou a pôr em prática, escrupulosamente, tudo o que estivera imaginando.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O material tem sempre razão

Tinha! Acaba de perder um caso em tribunal.

Eugenia

Para provar os riscos da miscigenação, o professor com ideias neo-nazis dava sempre o mesmo exemplo:
- Vejam o português, esse tipo rácico pequeno e peludo que manteve contactos tão estreitos com os povos negróides. Sofreu um tal empobrecimento genético que até o brasileiro, espécime racialmente diminuído, conta anedotas sobre ele.

sábado, 31 de outubro de 2009

Schengen celestial

No seu posto de controlo, São Pedro interceptou um sacristão envolvido em tráfico de indulgências. Bem representado por Judas, o sacrista logo interpôs recurso.
Deus, na sua infinita misericórdia, deu-lhe ganho de causa.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

As mentiras dos homens

Estava farto das mentiras dos homens. Não percebia como é que as viagens “a partir de…” ficavam sempre acima do valor indicado.

Médio Oriente

- Ó Stôra, tenho uma solução para acabar com a Intifada.
- Diz lá então, Miguel…
- É chegar lá e arrelvar aquela porcaria toda!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Olhar contemplativo

Ao passear no parque, viu duas crianças a agredirem-se com carrinhos de ferro.
Ficou a observar, absorvido, os golpes, os gritos e o colorido das testas.
Admirado o espectáculo, retomou o passeio para ir poisar o olhar no movimento dos esquilos e das folhas que caem à vez.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Cacos

Farto da situação, decidiu pôr tudo em pratos limpos e dar um murro na mesa.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Testamentando

A velhota deslocava-se ao notário várias vezes por semana para alterar o testamento: ora acrescentava um passe-vite, ora retirava um periquito…
Sentia-se assim mais viva, a agitar permanentemente os termos da morte.

As mãos que crescem

Tinha a certeza de que aquele livro da sua meninice - que acabava de encontrar no sótão - era então muito maior.

domingo, 25 de outubro de 2009

Ladrão que rouba a ladrão...

Toda a vida tinha roubado.
Agora, na velhice, levavam-lhe tudo: a vista, o cabelo, a dentição, o vigor…

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Boas recordações

Graças às boas recordações, a morte que o chamava quase lhe parecia boa.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

As vinhas do IRA

As garrafas com pavio voltearam no ar e inflamaram-se nas mãos do barman.
No outro balcão do bar, o colega irlandês levou as mãos à cabeça:
- Tinha-o proibído de me mexer nas garrafas!

Tempos modernos

Passava a vida a entrar e a sair do micro-ondas.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Provas de amor

Apaixonaram-se num combate de boxe, entre olhares de desafio.
Amavam-se tanto que tinham vontade de se esganar. De se bater como curtidor abrutalhado bate em pele de cordeiro.
Casaram-se um contra o outro, com um padre a arbitrar.
Na arena conjugal, combatiam sem gongo e limite de assaltos. Ela, enqueixando com alegria cotoveladas-relâmpago à hora da sopa. Ele, ansiando com infante comichão a canelada certeira que o córneo pezinho dela tão bem sabia atirar.
Nos dias mais quentes, beliscavam-se à sombra da árvore-chorão em que tinham gravado ameaças de morte com navalhinhas de tortura.
Assim viveram durante anos: feridos, feros e felizes.
Certo Outono, chegaram os arrependimentos: os filhos cujo parto ela deveria ter sofrido, os banhos que não chegaram a dar em afogamento, o Rotweiller que não o mordera com a devida gana…
Ele fez anos em Novembro. Recebeu três chapadões. Em seguida, terrina de Porches (bem robusta, por sinal) no meridiano de Greenwich da nuca.
Derradeiro gesto de amor. Já não lhes deu gozo.
Na semana do Natal, o primo dele começou a tratar dos papéis do divórcio.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Livro de horas

Tinha um livro, ricamente ilustrado, com piadas obscenas para as diferentes horas do dia.

Animação de casamento

A festa de casamento não tinha animadores, DJ´s, humoristas, ilusionistas, sevilhanas ou karaoke.
Os noivos tinham escolhido para a boda uma única atracção: o Poço da Morte.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A sorte a passar em passing shot

Sempre fora o rapaz da toalha. Nunca tivera a raqueta na mão.

O filho

Um guizo convoca vacas e pastores.
As duas caravelas do tamanho de azeitonas descobrem um Novo Mundo a cada minuto que passa. Refegos tremem como gelatina, na inocente satisfação de quem descobre a vida.
Cuidado! Pode chegar a cegar, o brilho dos olhos de um bebé que ri.
Nascido o filho, que carrega o devir nas bochechas, a mãe deixa de ser só ela. E o pai, mordendo a perna tenra com um carinho voraz, volta de novo a ser criança.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O livro

O sem-abrigo fazia a sua habitual ronda pelo lixo. Encontrou um livro amarelecido, que lhe pareceu familiar. “A indigência como fenómeno social fracturante” era o título da obra que escrevera vinte anos antes, enquanto promissor sociólogo saído de uma família com tradições, alicerçada num ambiente cultural privilegiado.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Mais só do que louco

Quarenta e dois dólares de temperatura, calor infernal! Mais com menos dá mais, que é mais do que menos com mais… São nove e vinte na moeda nova… nove e meia na moeda nova… Estrondoso! Estrondoso!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Ritual

Com a paciência e a minúcia de quem desenha um urso panda num fio de cabelo, segmentou cuidadosamente em pequeníssimas porções o corpo da mulher que o traíra e com elas confeccionou o sushi mais requintado, que foi degustando, na companhia dos clientes especiais, ao sabor das subtis mutações da folha da cerejeira.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

O 13 de Outubro na imprensa da época

À uma da tarde de ontem, a chuva parou, sem que o meteorologista Anthímio de Azevedo o tivesse previsto. Diante da multidão reunida na Cova da Iría, que ansiosamente buscava o céu e açoitava a moleirinha à espera da reedição do milagre, o sol dançou o twist, bamboleando as suas ancas de mulata como nenhum outro astro o havia feito até então. A luz ganhou um formoso tom de azul sabão-macaco e, como combinação de viúva, espalhou-se sobre os crentes ajoelhados, que exclamavam, num deslumbre: “Que lindo! Tanto efeito especial!”

“Diário da Manhã”, 14/10/1917

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Merchandising

À época, no século I a. C., o perfil de Cleópatra já figurava em canecas e aventais.

domingo, 11 de outubro de 2009

Auto-diversão

O louco que falava sózinho ria-se do que dizia, assegurando assim a sua dose de diversão diária.

sábado, 10 de outubro de 2009

Galope

A rapariga fixa a cor do semáforo, vermelho impeditivo que tem por dogma de fé. Pés fincados na borda do passeio, abana obsessivamente o tronco para trás e para a frente. É atleta à partida de prova de meio fundo, touro preparando a arremetida contra o pano vermelho que lhe cega as fuças.
Muda o sinal. Com o verde a inundar-lhe o cérebro, a credora de Deus arranca então, num galope de dentes cerrados, para a vida que a espera na outra ponta da passadeira.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Chuva ácida

Recusando ser asas de anjo ou algodão-doce, as nuvens devolviam aos homens o seu fel.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O violador

Segundo familiares e amigos, nada no seu comportamento faria supor um tal desvio. A não ser talvez o hábito - assinalado pela cunhada - de espreitar debaixo das saias das bonecas da sobrinha.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

O reformado ladrão

Só levava para casa anões de jardim. Não por serem valiosos, mas por serem da sua idade.

domingo, 4 de outubro de 2009

Precisa-se

Mortos não comprometidos, com menos de 1,70 m de altura, para dar vazão a stock remanescente de caixões de pinho.

sábado, 3 de outubro de 2009

Mundo

Tinha tanto desejo de mundo, que via contornos de continentes nas manchas da parede da cela.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Coelhinho da Duracell

O velho sambista de bacia ligeira sacode o corpo magro na roda de samba. À sua frente, uma morena-flor de depósito cheio, carburando litros de vida.
O velho da palhinha malandra sente-lhe as vibrações das nádegas, borboleta de colecção que em sensuais tremores de terra põe em alerta a sua protecção civil.
Insecto gozando as últimas horas de luz e vida, batuca um derradeiro par de vezes e, gastas as pilhas, cai no tapete da alegria popular.
É Carnaval, ninguém leva a mal.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

O polícia-sinaleiro

O trânsito estava confuso, desordenado, aos soluços. Ninguém percebia que indicações estava o polícia-sinaleiro a dar.
Até que o surdo-mudo da carrinha branca lhe respondeu.

Família numerosa

Já iam em cento e oitenta dedos. E ainda contavam somar mais vinte ou quarenta.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Vénia

Quando passava na EN 125, perto da Lagoa, foi saudado com uma vénia por uma daquelas piscinas que passam o dia em pé.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Brincadeiras perigosas

Levitando sobre a areia da praia que reflectia o luar, os pequenos vampiros arriscavam a vida a jogar ao jogo do prego.

Poço das desilusões

Mergulhava debaixo da ponte de ferro à procura de anéis de noivado, medalhinhas com retrato e corações partidos.
Chegado a casa, guardava os sinais de desgosto numa vitrina, junto das ânforas, dos dobrões de ouro e de outras relíquias subaquáticas.

sábado, 26 de setembro de 2009

Aditivos

Há mais de três horas que andava de bar em bar, tomado pela tristeza, a ingerir aditivos para a alma. Era já o sexto bar em que entrava. Sentou-se ao balcão e pediu um copo de E330 com duas pedras de gelo.
- E330 já não temos. Tem-se bebido muito. Se quiser um batidinho de espessantes…
Pediu antes um refresco de edulcorante com gás, bebida que já o falecido pai, apreciador do sabor acidulado do E950, tinha por hábito degustar após um longo dia de trabalho.
Sorvendo o refrigerante, lançou mágoas ao barman. Desde que a mulher o trocara pelo açougueiro do talho da esquina que ganhara o hábito de lançar mágoas ao barman. Coisa de filme negro de terceira categoria.
Mudou de bar. Não de mágoas.
Sentou-se na mesa do canto, pediu a lista de cocktails de aditivos e pasmou: desde o “Blue Fizz” de glicina e emulsionantes, até ao “Bella Ragazza” de inosinato dissódico e estearato de magnésio, passando pelo “Nuvem Branca” de fosfatidato de amónio e lactilato de propano, com duas gotas de monopalmitato de sorbitano, a lista era vasta e rica, feita para agradar aos gostos mais extravagantes. Ele é que não apreciava tão exóticos ingredientes, criado que fora a corantes e conservantes.
Pediu o Cocotini E472, pois não lhe desagradava de todo o sabor dos ésteres mistos acéticos e tartáricos. Mas bebeu-o sem prazer, a pensar que, naquele preciso momento, as rudes manápulas do açougueiro estariam a untar, com nitritos e nitratos, as ancas desenhadas a ponta de pluma da sua Ermelinda.
Estava velho. Ainda era do tempo em que se podia entrar num café e pedir um simples néctar de ácido ascórbico.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Uma fotografia

Esta tirei-a há uns cinco anos, no casamento do Rafael. Foi numa quinta ali para os lados da Sertã. Lembro-me bem, porque ainda estava com a Elsa. Fotografei o fotógrafo a fotografar os noivos, com o Tóni e a mulher ao lado. Vês aquele miúdo lá atrás? É o meu mais novo, com os joelhos sujos de erva. E este aqui, todo desfraldado, é o irmão da Elsa, o Ramiro, já bem bebido. Gosto desta fotografia porque me lembra a Elsa viva.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Breve compêndio de casais

O casal: par de recém-casados à procura de casa.
O casalinho: duo de irmãos de sexo oposto.
O casalito: par de namorados desenxaibidos.
O casal amigo: o que passa férias connosco.
O casal nota 10: o que todos invejam, mas que também tem os seus podres.
A Casal: marca portuguesa de motorizadas.
O casal McCann: aquele de que o ex-inspector Gonçalo Amaral desconfia.
O casal Garcia: Adalberto Garcia e Lucinda Garcia.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Agorafobia

Ficou três dias fechado lá fora, sem poder entrar em casa. Foi salvo ao quarto dia pela mulher, que deu com ele, exausto e amedrontado, a cavar uma toca.

Doentinha

De tão queixosa, quando falava no seu Sargenor já ninguém sabia ao certo se estaria a referir-se ao marido ou ao medicamento.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Bovinos

É a morte que dá vida ao matadouro.
Com o primeiro choque a vaca ajoelha no chão, como que pedindo perdão aos antepassados pela vida mínima que levou. Ao terceiro choque, despede-se com olhos meigos do funcionário que lhe dera duas palmadas no lombo antes de premir o botão.
São bons os bovinos. Melhores de sentimentos do que de sabor.

sábado, 19 de setembro de 2009

O voo

Tinha pisado o cardo de fogo deixado pela guerra quando ia a caminho da escola.
Sempre quisera ser piloto de aviões e futebolista. Mantinha essa vontade. A perna não.
Nas suas palavras planadoras, o desejo de subir tão alto como a sua ex-perna: - Quero acreditar como esse avião grande anda sem abanar as asas.
Mas o único voo foi o da mina.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

A pomba e a gaivota

Ao cruzar-se com a reluzente pomba da paz, a gaivota sacudiu o alcatrão das penas e, olhando para cima, desabafou:
- Pois é, há filhos e enteados!

Explicação dos animais (VIII)

A primeira avestruz cometeu uma enorme gaffe.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Dilúvio

Os habitantes da pequena localidade atreita a tornados e trombas de água assistiram, assombrados, a uma repentina chuva de sapos. Dois dias depois, caíram peixes. Na semana seguinte, abateram-se sobre eles, com uma força inaudita, milhares de advogados estagiários.

Explicação dos animais (VII)

O primeiro pinguim caiu quando voava.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Notícia de um jornal local

Ao fim da tarde de ontem, na rotunda dos Fornos, o carro da Funerária Armindo embateu numa carrinha frigorífica que descarregava peças de carne. O condutor do veículo funerário, sobrinho do senhor Armindo Faria - a quem aproveitamos para enviar daqui as nossas saudações - saiu ileso. O único ferido a registar foi o morto, imediatamente conduzido para o Hospital da Misericórdia onde, até à hora de fecho desta edição, se encontrava em situação estável.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Luta de sumo

Os dois rikishis estudam-se mutuamente. Empurram-se como dois ursos da Ilha de Hokkaido e agarram-se pelas faixas. Perante o entusiasmo da assistência, derrubam-se um ao outro e caem ao mesmo tempo no dohyo, num estrondo de massas brutas.
Deitados no tapete, olham-se com olhos ternos, agarram-se de novo e beijam-se apaixonadamente.

domingo, 13 de setembro de 2009

Vocação

- O que queres ser quando fores grande?
- Pequeno.

O fonâmbulo sonâmbulo

Acordava sempre cansado e, por vezes, com a vara nas mãos.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Como peixe na mágoa

O rapaz sai para o mar no barco insuflável. Recosta-se na borracha morna e fecha os olhos. Enquanto imagina como seria bom ser um peixe na corrente, sem trabalhos rotineiros e despertares madrugadores, vai riscando a água com dois dedos, mesmo junto a peixe de barriga envenenada virada para o sol.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Matraquilhos

Não percebia porque é que tinha perdido tantos jogos seguidos. Até que reparou que os seus bonecos do meio-campo conversavam alegremente entre si.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

A mosca

Depois de esvoaçar umas horas pelo bar, a mosca mergulhou de cabeça no copo de uísque. Queria saber o que tanto atraía os homens naquele líquido.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Tapando a lua

O miúdo que caçava estrelas queria ser o primeiro a tapar a lua.
Durante dias, esperou que ela enchesse. Quando se preparava para lançar a colcha da cama até lá acima, deu-se o eclipse.
Ao contrário dos outros, o miúdo ficou triste. Alguém tapara a lua antes dele.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

O fungo

Quis o destino que tivesse de permanecer mais três dias na pequena ilha das Caraíbas onde se deslocara para uma reunião de negócios.
A decadência do hotel saltava à vista debaixo da tinta apressada, como marreca de velha senhora sob estola com cheiro a armário. Era um hotel como todos os outros, mas com duas particularidades: tinha obras nos corredores e um fungo nas paredes, um musgo acastanhado que libertava um líquido amarelo.
Passou dois dias a aborrecer-se, a ler policiais e a confirmar as conclusões que a sua larga experiência de hotéis há muito lhe permitira tirar: que 90% dos hóspedes nadam devagarinho e jogam mal ténis e que o bar da piscina nunca tem barman.
Ao fim do segundo dia, tomado por uma modorra tão pardacenta como o musgo da parede, deitou-se vestido e adormeceu com o Have a nice day, sir! a martelar-lhe a cabeça.
Horas depois, o fungo insidioso, que já ocupara as pernas da cama, começou a cobrir-lhe o pé direito, trepou pelo tornozelo e continuou a subir.
Antes de lhe entrar pelos ouvidos, ainda ouviu uma voz dizer, do lado de lá da porta: Have a quiet evening, sir!

Derrota inglória

Durante o VI Campeonato Europeu de Carregamento da Esposa, Jorge Neves teve uma discussão com a cara-metade (por causa de um fim de semana em casa dos sogros) que lhe custou a revalidação do título.

domingo, 6 de setembro de 2009

História infantil

O pequeno coelho faz tudo como o papá coelho. Ele come como o papá coelho. Ele veste-se como o papá coelho. Ele fuma como o papá coelho. Ele insulta a mamã como o papá coelho. Mas quando se trata de ir desentupir retretes e alombar com sacos de cimento, o pequeno coelho já não tem vontade de fazer como o papá coelho.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

O cerra-fila

Nasceu depois do irmão gémeo. Sentou-se na última fila da sala de aula. Marchou no fim do pelotão. Conduziu carros-vassoura em provas de ciclismo. Fechou procissões. Até ao dia do seu cortejo fúnebre, em que teve de ir no meio.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O bidé

Tendia a ficar deprimido, sem razão aparente que o justificasse.
Certa manhã, teve vontade de lavar os dentes no bidé. Desconfiado, temeu que estivesse a chegar mais uma depressão. Quando começou a lavar os sovacos no bidé, teve a confirmação. Passou a barbear-se no bidé, a lavar a cara no bidé, a fazer toda a higiene pessoal no bidé. O bidé bastava-lhe. Estava feito à sua medida. Tinha a dimensão exacta da sua pequenez dobrada em concha.
Uma semana depois, um amigo emboscou-o na rua e inquiriu-o de coisas:
- Então, Carlos, que tal vai isso?
- Nada bem… olha, ando outra vez a fazer tudo no bidé.
- É pá, isso é que é pior!
Nessa noite, durante aquele estado indefinido entre a vigília e o sono, imaginou-se a cortar os pulsos no bidé. A ver o fio de sangue na volta de despedida antes de seguir pelo ralo.
Levantou-se, dirigiu-se ao bidé para gorgolejar e sentiu vontade de cortar os pulsos naquela peça de louça criada pelo preguiçoso engenho da burguesia.
Mas resistiu a deixar escorrer a vida pelo bidé. Em vez disso foi sentar-se em frente à televisão, para se abandonar àquela inércia suburbana que mata mais devagar.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Jogos eróticos

Com a fogosidade de um jovem de 20 anos, o velho senhor do castelo ainda corria atrás dos seus fantasmas para lhes tirar o lençol.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Como um profeta

Em cima da mesinha articulada, brandindo um cartão renovado em folha, o plastificador de documentos berrava como um profeta:
- Plastificai os vossos documentos!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Almas gémeas

Nada tinham em comum, até o camião os apanhar ao mesmo tempo.

domingo, 30 de agosto de 2009

Minnie

Toda a gente viu a Minnie a ser escoltada até à saída da Disneylândia por dois soldados com metralhadoras.
Levava as orelhas e o laçarote carregados de explosivo plástico.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Vice-ssitudes

O Vice-Presidente vice-presidiu. Ninguém o vice-contestou.

Carta de amor de uma romena a um francês

Cher Monsieur,
Je suis sans abri. J´ai deux enfants. Aidez-moi a trouver un travail et a nourrir mes enfants. Vous avez un bon coeur. Que Dieu vous protège et à votre famille.
Alina Piturca

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

As laranjeiras

- Olha as laranjeiras a andar!
Julgou que o amigo estava louco.
No segundo seguinte, foram os dois levados pelas terras.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

A luva

Acordou com uma luva preta na mão direita. Mesmo sem saber como lhe viera parar à mão, achou-a menos estranha do que estranhamente familiar. Era uma luva confortável, feita à sua medida. Uma luva que lhe assentava como uma luva.
Tinha a impressão de já ter visto aquela luva nalgum lado, mas não sabia dizer onde. Até que um dia, de repente, se lembrou: aquela era a luva do Artur Semedo.
Habituou-se de tal modo à luva que nunca a tentou tirar.
Sentia alguma coisa debaixo da luva, dois pequenos corpos esféricos. Mas, temendo a revelação, não quis ver o que era. Preferia que o mistério crescesse e se adensasse.
Quando finalmente ganhou coragem e descalçou a luva, deparou-se com um par de olhos. Só que não era um par de olhos qualquer. O que durante semanas guardara na luva do Artur Semedo era o par de olhos do Abrunhosa.

Traço de união

Tanto o onanista como a mulher solitária liam livros de auto-ajuda.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Velha casa em zona de guerra

Assistira a tanta dor e destruição, que em vez de rachas tinha rugas.

domingo, 23 de agosto de 2009

Walkie-talkies

Antes de deixar o jovem casal aventurar-se na sua labiríntica loja de roupa em segunda mão (que se prolongava por uma extensa galeria subterrânea), o velho dono, confinado a uma cadeira de rodas, entregou-lhes um walkie-talkie declarando, com uma certa gravidade:
- Communication is important.

sábado, 22 de agosto de 2009

Assalto condenado ao fracasso

Para comunicarem um com o outro, os dois surdos-mudos tinham de deixar de apontar as armas.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

O preço da beleza

Depois de beber mais uma taça de ouro potável para prolongar a sua celebrada beleza, Diana de Poitiers, amante de Henrique II de França, pede à aia:
- Tirai-me da gaveta da mesa de nogueira dois kompensans!

A brincar e a ruir

Durante a Primavera de Praga, o brinquedo preferido das crianças checas era uma pequena estátua de Estaline, que os pequenos destruíam com um martelinho e uns minúsculos cabos de aço, vendidos em conjunto com a mini imagem em bronze do ogre russo.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

História medieval

Entre dois jogos de PSP, os dois miúdos discutiam - com a gravidade de medievalistas - se Joana d´Arc teria sido grelhada na brasa ou assada no forno.

Espreitadela

As árvores do parque baixam imperceptivelmente as copas para espreitarem o par que namora dentro do carro.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Teletransporte

Homem de negócios no ramo do import-export, estava condenado a andar de hotel em hotel, longe dos confortos do lar.
Ao fazer a mala, punha sempre um naperon (bordado pela mãe) junto da roupa interior, por cima do retrato dos filhos.
Chegado ao hotel, a primeira coisa que fazia - antes mesmo de experimentar os canais de televisão - era pôr o retrato dos filhos na mesa-de-cabeceira e o naperon no braço do sofá do quarto.
Depois saía para as reuniões agendadas.
Ao voltar ao quarto no fim do dia, cansado do trabalho e do esforço linguístico, punha então em prática o seu expediente para se sentir em casa. Sentava-se no sofá do quarto, fechava os olhos e, no preciso momento em que acariciava o naperon, era teletransportado para a sala de estar de sua casa.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Petróleo

O rapaz-esqueleto pede cinquenta cêntimos para o falso bilhete de autocarro.
- ´brigadinho, senhores doutores... P´ra mim os senhorzinhos também são senhores doutores, sabiam?
A mente, quartel-general da confusão. As pernas, canas frágeis à mercê da ventania. O braço, jazida de petróleo em regime de exploração contínua.
Entre tremores, o rapaz-esqueleto murmura algo de imperceptível. Fecha os olhos e vê um campo de cereal flutuante.
O cartão sujo que segura na desistente mão esquerda diz apenas: Comer.

domingo, 16 de agosto de 2009

Troca

Entregou uma cadeira de rodas e deram-lhe uma tonelada de tampas.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Pastéis de nata

O americano descobriu o pastel de nata em Lisboa. Seis meses depois, não havia festinha de anos nos Estados Unidos que não tivesse pastéis de nata para os meninos esborracharem no nariz uns dos outros.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Lista

- Escova de dentes com ossos;
- Pregos retorcidos com cabeças de sardinha;
- Serradura com limões espremidos;
- Baínhas de calças com Nestum;
- Pernas de bonecos com molho de chanfana...
Coisas que se misturam no lixo.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O beija-flor

O colibri gostava de beijar todas as rosas. Só a rosa mais bela do roseiral lhe recusava o pólen.
Durante horas, o beija-flor bateu as asas à frente dela. Mas a rosa não abria.
Feito para bater asas e beijar rosas, o colibri não desistiu.
Até que, esgotado, caiu sem vida num silvado.
Nesse momento, finalmente pronta para receber o beijo, a rosa abriu.

Olho no cisco

- Que raio de azar! - desabafava o cisco, depois de ter sido atropelado por um olho.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

O horror nazi não tinha limites

Em Dachau, os guardas divertiam-se a lançar anões judeus para a boca do hipopótamo de estimação do encarregado do campo.
Na discoteca "Mananita", em Esposende, os anões são lançados à distância pelos clientes mais pujantes.

domingo, 9 de agosto de 2009

Errata dos "Crimes exemplares" de Max Aub

Onde se lê "E foi o fim do mundo" deve ler-se "E foi o fim do mudo".

As pegadas

Acordou na praia deserta, junto às dunas. Olhou para o lado e viu a companheira morta, de barriga aberta.
À frente, um único trilho de pegadas, em direcção ao mar. Seguiu as pegadas até perto da água, onde voltavam para trás.
Intrigado, experimentou colocar o pé direito na pegada direita e constatou - confirmando os seus receios - que se ajustava na perfeição.

Explicação dos animais (VI)

O primeiro crocodilo trincou uma cebola.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Um casal muito velho

O velhote relembra pela tristésima vez que perdeu seis polegares na guerra.
Ao lado, a velhota, antes de entrar no túnel de escuridão mental, tem um último assomo de lucidez:
- Estas veias matam-me!

No recreio

Para assustar as coleguinhas mais queques, a menina estranha saltava à corda com uma cobra.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Os patos bravos

Os patos bravos faziam juz à sua natureza migratória. Todos os verões partiam, em bando, para construir sem licença mais a sul.

Explicação dos animais (V)

A primeira toupeira leu muitos romances à luz da vela.

sábado, 1 de agosto de 2009

Na mó de baixo

O facto de andar sempre na mó de baixo custou-lhe a vida. É que um dia o moleiro não o viu.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Peso-pluma

No fim do segundo assalto do combate de pesos-pluma, a rapariga de olhos apaixonados levanta-se, sopra na direcção do pugilista de calções brancos e aguarda que este, depois de voltear duas vezes no ar, venha poisar suavemente no seu colo de donzela.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

“3 D”

Sempre fora um professor cúmplice, daqueles que gostam mais de sentir o cheiro dos alunos do que de os manter à distância de um ponteiro.
Faltavam-lhe dois dedos numa mão. Um pequeno grande defeito que os miúdos-hiena logo exploraram, apelidando-o de “3 D”.
Quando um deles lhe perguntou se tinha cromos para a troca, cansou-se de ser o professor tolerante que fora até então e decidiu pôr os putos nos “i’s”.
Mas era tarde demais. Professor e alunos já se tinham tornado amigos.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Lições de português

Aprendeu com um papagaio a adverbiar com moderação.

Metáforas

Era um drogado com pavor a metáforas. Uma simples comparação bastava para o pôr a suar em bica.
Quando alguém lhe disse que a chuva era o céu a chorar, precipitou a overdose.

domingo, 26 de julho de 2009

Génesis

Noé disse aos animais da arca que o Dilúvio era um caso sério, mas que o verdadeiro perigo era o Homem. Não o ouviram, entretidos que estavam a namorar aos pares.
O resto é o que se sabe.

Os 10 mil pintores de Dafen

- Tudo é cópia de tudo - dizia de si para si o criativo, em plena crise de inspiração.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

M maiúsculo

No momento em que injuriava o capitalismo, caiu-lhe o M grande da McDonald´s em cima.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

O brinco

Em 1980, Vítor Baptista fazia o seu segundo jogo pelos San José Earthquakes da Califórnia. Durante uma jogada, caiu-lhe o brinco. Baixou-se para o apanhar, alheio ao jogo.
Nesse momento, a terra tremeu, abriu a boca e engoliu-lhe o brinco.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Bolo de anos

O pai tinha morrido há 8 anos, mas os filhos continuavam a cantar-lhe os parabéns. E, de todas as vezes, no fim da canção, uma corrente de ar entrava pela sala e apagava as velas.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Escolinha do mal

Na escolinha do mal, os meninos começam com simples jogos de palavras: Pol Pot, Papa Doc, Idi Amin Dada…

Explicação dos animais (IV)

O primeiro melro debicou um ovo.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Apolo 17

Quando circulava a 15 quilómetros à hora no rover lunar, o astronauta Eugene Cernan levou com uma bola de golfe no capacete.
O Mar da Tranquilidade já estava a ser explorado para fins turísticos.

Dupla efeméride

A 20 de Julho de 1969, Neil Armstrong chegava à lua.
A 20 de Julho de 1989, Aníbal Godinho chegava à rua.
Lá em cima, o americano pesava 12 quilos. Cá em baixo, o português pesava 144 quilos.

domingo, 19 de julho de 2009

Numa picada africana

O miúdo, sorriso aberto e camiseta esburacada, pôs-se a correr como uma chita atrás do jipe, em perseguição do mirífico objecto.
Quando finalmente apanhou a esferográfica com que o branco lhe acenava, tinha batido, sem o saber, o recorde mundial juvenil da milha.

sábado, 18 de julho de 2009

Anos 70

Num 2 Cavalos, com um cartaz A1 no tejadilho, desodorizante 8x4 nos sovacos, LSD-25 na “carola”, uma garrafa de Vat 69 no porta-luvas, um sintetizador VCS3 no banco de trás e os Jackson 5 no leitor de K7´s.

Explicação dos animais (III)

O primeiro lince desapareceu uns tempos por dívidas acumuladas.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

O amigo imaginário

Desde tenra idade que se encontrava regularmente com um amigo imaginário (Carlos André de seu nome). Trocavam duas ou três frases e depois ficavam a olhar um para o outro.
A certa altura, o amigo imaginário (Carlos André de seu nome) começou a chegar atrasado aos encontros. Os atrasos começaram a ser mais longos (o que, estranhamente, não o irritava por aí além).
No dia em que o amigo imaginário (Carlos André de seu nome) o deixou plantado à porta do café, soube que estava curado.

Explicação dos animais (II)

O primeiro flamingo pisou uma mina.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Documentário sobre um ditador

No plano seguinte, o velho jardineiro conta como todas as manhãs limpava a piscina do ditador de ervas, folhas e dedos.

Explicação dos animais (I)

O primeiro cão urinou numa das muralhas de Jericó.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Cada cabeça sua sentença

Embora tivesse adorado o drama histórico sobre Henrique VIII, teve o bom senso de não comentar que era de perder a cabeça.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Dois jovens casais jantando juntos

- E quando, já velhos, formos os quatro num táxi a abanar involuntariamente a cabeça?
E brindaram a uma amizade duradoura.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Os móveis

À noite, quando todos dormem, os móveis dançam (por vezes aos pares).
De manhã, há quem repare que aquele louceiro estava mais chegado à porta e aquela cadeira na outra ponta do corredor.

As incríveis aventuras do senhor Silvério

Numa só manhã, o senhor Silvério conseguiu coser cinco pares de sapatos, aplicar seis meias solas e pregar dez pares de protectores, sempre com a dona Lurdes da retrosaria a atazanar-lhe o juízo.

domingo, 12 de julho de 2009

Educação rígida

O miúdo vivia para a filosofia e a irmã para a matemática.
Os pais, disciplinadores, obrigaram-nos a ver filmes de acção e telenovelas, proibindo-lhes as enciclopédias e limitando-lhes a álgebra a meia hora por dia.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Escola da vida

Aprendeu a ler com as palavras cruzadas e a contar com o Totobola.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Casaquinho

A ursa polar fez uma promessa à filha: se tirasse boas notas, oferecia-lhe um casaquinho de pele de menina para as noites mais frescas de verão.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

No trilho do vento

Caçador de tornados, constipava-se com uma brisasinha.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Vidas a passar debaixo de um primeiro andar

As duas velhas à janela sabiam melhor do que ninguém quem estava a ficar careca.

Plano da CIA

O último plano da CIA para ridicularizar Fidel Castro, gizado em 2007, consistia em recorrer à manipulação digital para colocar o Chefe de Estado cubano no casamento de Suzy & Paulo e difundir mundialmente as imagens.
Na página http://onossocasamento.pt/forum/as-nossas-coisinhas, o velho dinossauro político aparecia, de bouquet na mão, a comentar a boda: - K linda tava a Suzy, kom um sorrisinho no rosto e um vestidinho tão fofi! E o noivo tava memo super mega apaixonadito. Só me apetecia xorar! Pena kesta cabecinha xoxa eskeceu-se da mákina. Bjokas. Lol!

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Em francês no texto

Ela tinha um je ne sais quoi que ele tampouco sabia o que era.

Cartão de visita

Encontrou um cartão de visita no meio da rua e dirigiu-se à morada indicada.
Seis meses depois já estavam casados.

domingo, 5 de julho de 2009

O caçador de estrelas

Há meses que o miúdo tentava, em vão, alvejar estrelas com uma pressão-de-ar.
Preparava-se para desistir quando, após um tiro pouco convicto, uma estrela cadente riscou o céu.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Túnel

O metro andava depressa porque tinha medo do escuro.

Actualização da notícia do dia

O grupo de supremacistas brancos que ocupa desde ontem uma escola no Vermont mantém como reféns dezenas de alunos, professores e funcionários. O Afeganistão enviou já uma equipa especial de mudjahedins para eliminar os terroristas e libertar os reféns.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Missão exploratória

- Em que ponto da superfície terráquea nos encontramos?
- Num cruzamento de coordenadas espaciais a que deram o nome de Alcanena.
- Que cheiro nauseabundo! E que paisagem desoladora!
E não houve invasão.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

O alfaiate

- Como são alegres os jovens. Riem ao conviver, riem ao contar e ao ouvir contar, riem ao olhar o futuro…
Assim falava o velho alfaiate para a morte ali ao lado, de cotovelos descarnados apoiados no balcão.

domingo, 28 de junho de 2009

A casa

Mesmo contra a vontade do dono, a casa de cinco assoalhadas decidiu mudar de morada, pois já não reconhecia o bairro da sua infância.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Montaria

Oito javalis juntaram-se para a primeira batida da época. Untaram-se de banha humana e armaram-se de paciência. A espera foi nervosa, pois a presa farejava ao longe e conhecia bem os esconderijos da mata.
Mal um dos javardos viu o bípede passar assustado e coberto de lama, foi dado o sinal de partida para a ansiada montaria ao caçador.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Conversa babada

- Já espreitaste o meu babyblog?
- Já, o teu piolhinho é mesmo queriducho.
- Então e a tua pulguinha? É a coisinha mais fofa que já vi.
E um fio de baba escorre pelas camisas de dormir da puérpera e da lactante.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

11º mandamento

Não levarás demasiado a sério os 10 mandamentos anteriores.

terça-feira, 23 de junho de 2009

O nano-Hulk

Era um Hulk em tamanho reduzido, um super-herói de bolso.
Quando se irritava, cresciam-lhe os músculos e ficava verde de raiva, mas o máximo que conseguia destruir era uma trotineta.

domingo, 21 de junho de 2009

O prato do rei

O preste da cozinha ia buscar o prato à dispensa e passava-o ao moço da câmara, que o trazia para o salão, onde o uchão d´el-rei o fazia chegar ao trinchante, que cortava a carne e passava o prato ao mestre-sala, que o servia ao soberano.
Um dia, durante a refeição, o rei foi acometido por um ataque fatal.
O regente mandou executar os cinco oficiais da mesa do rei, sob a acusação de envenenamento.
A bactéria culpada continuou a andar por ali.

sábado, 20 de junho de 2009

Rendez-vous

Vindo de uma corrida de sacos, o homem chegou ao cruzamento marcado.
- Bom dia! - disse o homem.
- G´ day! - respondeu o canguru.
E partiram os dois a saltitar.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Três pensamentos sequenciais do amante escondido no armário

1. E o mundo tão grande lá fora!
2. Será esta a antecâmara da morte?
3. Já estou a ficar com fome.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Ortografia

O folheto de divulgação da conferência nacional de ortografia continha cinco erros de pontuação, três erros gramaticais e um erro de sintaxe.
A organização argumentou que se tratava de exemplos.

Coisas em que acreditava quando era criança (VIII)

Que as starlets de cinema, quando iam à casa de banho, só faziam flores.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Air guitar

Armando Neves, da Chamusca, foi o grande vencedor do 1º concurso nacional de air guitar, graças a uma perfeita imitação de Jimi Hendrix e Angus Young, dos AC/DC.
O factor decisivo para a escolha do júri foi o ataque epiléptico que acometeu Armando Neves durante a sua actuação.

terça-feira, 16 de junho de 2009

11 de Setembro

A 11 de Setembro de 2003 não aconteceu nada de especial.

Lição de história

- Sabes quem foi o Humberto Delgado, minha?
- Não.
- Foi o gajo que orientou aquela cena, topas? Orientou aquela cena toda e depois patinou.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Hollywoodesco

Os clássicos de Hollywood eram tão desprovidos de rigor histórico que o braço direito do Spartacus era um activista da Amnistia Internacional e o braço esquerdo do Ivanhoe ostentava um relógio digital Casio.

Coisas em que acreditava quando era criança (VII)

Que o Salvação Barreto tinha mesmo partido o pescoço ao toiro do “Quo vadis”.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

O castanheiro

Em visita à terra natal, após décadas de ausência, deitou-se à sombra do seu castanheiro de infância, palha na boca e pés descalços.
Fechou os olhos por um minuto. Quando os abriu, teve a sensação de que a velha árvore tinha crescido. Depois, olhou para as próprias pernas e constatou, estupefacto, que terminavam nuns pezinhos de criança.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Espaço 1999

Comia-se tão mal na Base Lunar Alfa, que um dia a Maya teve de se transformar em Chefe Michel.
Mas foi sol de pouca dura. Desagradada com as suas novas bochechas, regressou à forma original, perante os inflamados protestos do pessoal da base.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Impressões nasais

No registo civil, o esquimó recusou-se a apor as impressões digitais, pois era com o nariz que cumprimentava.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Playmobil

A Playmobil informou que a caixa mais vendida da marca é o Triângulo de Weimar, bem à frente do coliseu romano e do navio pirata. Com as figurinhas dos ministros Roland Dumas, Hans-Dietrich Gensher e Skubiszewsky, os meninos podem assinar convénios e concertar alianças ao mais alto nível, dando largas às suas fantasias geoestratégicas.

domingo, 7 de junho de 2009

Na albufeira

Com os tios entretidos a namorar, o miúdo foi-se afastando da margem até perder as forças. Quando começava a afogar-se, sentiu uma mão a puxá-lo.
Era Jesus que por ali andava a caminhar sobre as águas.
Salvo o filhote de Deus, o Filho Unigénito do dito recomendou atenção aos tios e catequese ao miúdo. Depois voltou à sua vida, que já se fazia tarde e não gostava nada de caminhar sobre as águas durante a noite.

Coisas em que acreditava quando era criança (VI)

Que os tríceps do Popeye eram verdadeiros e as barbas do Fidel Castro postiças.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Vaca sagrada

Ninguém se atrevia a tocar na mulher do Presidente da Câmara sempre que caía bêbeda na via pública, atrapalhando o trânsito.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Cadeia alimentar

O rato-do-campo come a larva. A coruja come o rato-do-campo. A doninha come a coruja. A gineta come a doninha. O lobo come a gineta. O homem come o lobo. A larva come o homem.

Constipação temperamental

Embora frígida, fervia em pouca água.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Parecenças

A bebé tinha os olhinhos da mãe, o narizinho da avó, a orelhinha direita do pai e a orelhinha esquerda do ajudante da mercearia da esquina.

Coisas em que acreditava quando era criança (V)

Que os economistas e homens de finanças nasciam já adultos.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Última recta

Final olímpica dos dez mil metros.
À entrada da última recta, o atleta etíope, fugido desde o primeiro quilómetro, mantém sessenta metros de avanço sobre o perseguidor português. De repente, a meio da recta, começa a coxear. Num impulso de generosidade, o português abranda para lhe oferecer a merecida vitória.
Como uma flecha, o alemão ultrapassa-os em cima da meta.

domingo, 31 de maio de 2009

Dois canibais

Dois canibais encontraram-se para trocar membros (prática severamente reprimida pelos brancos), mas no momento da troca meteram os pés pelas mãos.

sábado, 30 de maio de 2009

Cascos de rolha

A mulher andava à procura do seu homem há três dias. Um amigo dos copos disse-lhe que estava em cascos de rolha. Ela não acreditou.
Foi encontrá-lo morto na adega.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Multa de trânsito

A professora de português recorreu da multa de trânsito com base em adverbiação excessiva.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Gravidez inconveniente

Um dia, a Fada dos Dentes apareceu grávida. Constou que o progenitor era o Pai Natal. Para abafar o caso, o velho das renas colocou umas prendas nas mãos certas e um duende veio a público assumir a paternidade. Mas a coisa complicou-se quando o bebé nasceu de barbas brancas.
Louco de raiva e ciúmes, o Papão deu um arraial de pancada ao "Santa".

Coisas em que acreditava quando era criança (IV)

Que a mala da Linda de Suza se podia desfazer com a chuva.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Vesúvio

Sofria tanto das hemorróidas, que tinha a impressão que o olho que o diabo esfregava era o dele.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Fotografia de grupo

Há muito procurado pela polícia, o pedófilo foi descoberto na terceira fila a contar de baixo da fotografia de grupo de um casamento.
Tinha o olho posto na menina das alianças.

sábado, 23 de maio de 2009

O golo

No mato, o balanta abraça com a orelha o pequeno rádio de pilhas: Paulo Bento na recuperação... coloca em Figo...
É mesmo a selecção das quinas que joga debaixo daquela humidade toda.
O balanta não percebe português, mas gosta do som da língua, dos dribles sonoros do relatador: Atenção!... Rui Costa pode marcar… GOOOOOOOOOLO! POR-TU-GAAAAAAL!...
E, naquele instante de polaroid, o balanta mima, com a boca escancarada, o grito familiar.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

No barbeiro

O cliente recusou-se a pagar o corte, alegando ter encontrado um fio de esparguete no cabelo.

Coisas em que acreditava quando era criança (III)

Que os maestros, ao regerem, apanhavam violentos choques eléctricos.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Notícia de última hora

A pequena Maddie foi ontem encontrada sã e salva, numa cabana isolada na floresta do Vale do Rio Juruá, no Estado brasileiro do Acre. Com ela encontrava-se, também bem de saúde, o pai da filha de Rachida Dati.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

A pintura

Abateu aves, veados e javalis. Deitou herbicida nas plantas. Pegou fogo às árvores.
Depois, sentou-se à sombra de uma nuvem negra, deixou o primeiro grifo poisar e começou a pintar a sua natureza morta.

Coisas em que acreditava quando era criança (II)

Que o vírus da sida tinha nascido numa écharpe do António Variações.

terça-feira, 19 de maio de 2009

O ogre

O ogre entrou no quarto do menino. Exibindo os enormes dentes, rosnou. O menino acordou. Já perto da cama, o ogre abriu a bocarra num rugido assustador. O menino riu-se. Não admira: é que o monstro trazia calçadas umas “Crocs” cor-de-rosa.

Coisas em que acreditava quando era criança (I)

Que havia uma única telefonista, pois a voz era sempre igual.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

À noite, no museu

À noite, no museu, o vigilante teve o ataque cardíaco. Só dois dias depois, quando começou a cheirar, é que repararam que não era feito de cera.

domingo, 17 de maio de 2009

O sapo príncipe

Quando o beijo da princesa o transformou em príncipe, o batráquio pediu que o restituíssem à condição original, pois amava uma bela rã e não aquela humana escanzelada.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Talho em cinzas

Após aturada investigação, a Polícia Judiciária concluiu que o incêndio tivera origem numa das patilhas do talhante.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Aperto de mão

Durante a inauguração do centro cívico, apertou a mão ao Presidente da República. Confidenciou mais tarde a um vizinho que não a achara nem quente nem fria.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

O 13 de Maio na imprensa da época

Nossa Senhora apareceu ontem na Cova da Iria, em cima de uma oliveira cobrançosa dos viveiros Baptista, a três pastorinhos empazinados de cogumelos alucinogénicos. A Senhora apresentava-se muito bem apessoada e de permanente e unhas Isabel Queiroz do Vale. Aparentava, no entanto, sofrer de uma pancreatite (as mulheres e o pâncreas, sempre às turras, não é?). Segundo um dos pastorinhos, também os joanetes a martirizavam um pouco.

Jornal "O Século", 14/05/1917

Diálogo só com verbos

- Começa.
- Lia Gama.
- Gosto.
- Rui Unas.
- Depende...
- Canto (e) Castro.
- Morreu.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Os pombos

Tentara tudo, desde veneno a arame farpado, mas não conseguira expulsar os pombos da varanda.
Até que teve a feliz ideia. Pôs a correr a cassete com o discurso de Fidel Castro ao 3º Congresso do Partido Comunista Cubano e saiu para tratar de uns assuntos.

Flyers

Distribuía flyers à saída do metro, pequenos panfletos vazios de sentido que os passantes apressados deixavam ir a voar.
Um dia, sentiu-se tão vazia de sentido que também se deixou ir, como um flyer, na ponta dos dedos do vento.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Ditadura

O ditador foi limitando, um a um, os contra-poderes: os partidos da oposição, os sindicatos, os meios de comunicação social, os tribunais …
Esqueceu-se do mais subversivo de todos: o riso.

domingo, 10 de maio de 2009

Mickey

Trabalhava como Mickey na Disneylândia, suando em bica debaixo do fato de borracha e poliéster.
Quando um dia teve de ir ao urinol com o fato vestido, reparou que o rato, afinal, era circuncidado.

sábado, 9 de maio de 2009

Letra morta

A meio da frase, o “e” lançou o “a” para fora da linha, só por ter andado no “ar” com o “r”.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

“Boca doce”

Já homem feito, o miúdo do anúncio ainda não perdoou ao avô o facto de lhe ter roubado o pudim à má fila.

Embrulho adormecido

A filha única pediu como prenda de Natal a bebé que vira nos braços da pedinte cigana. Os pais, satisfeitos por a filha saber finalmente o que queria, fizeram-lhe a vontade.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Guerrilha

A luta durava há seis meses. Armados de carabinas e espingardas automáticas, os resistentes abatiam qualquer homem que se aproximasse daquele pedaço de selva que dominavam.
A resistência só abrandou quando o chefe dos babuínos, um chimpanzé idealista e obstinado, foi traído por falsas promessas e uma taça de pinhões.

Relax imobiliário

Moradia apertadinha. Gostosa. Dois belos pares de assoalhadas com áreas generosas. Traseiro com vista para o rio. Aquecimento central escaldante. Equipada com todo o tipo de acessórios. Excelentes acabamentos (incluindo depilação). Pronta para receber inquilinos, com garantia de máxima privacidade. Parqueamento a toda a hora. Ao Porto da Carne. Tel. 964125637.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Casamento de sonho

Sentia-se leve e resplandecente no seu vestido branco. Ao seu lado, o noivo olhava-a com olhos meigos, que anunciavam um futuro tranquilo. A igreja estava cheia de gente, luz e cor. Era um casamento de sonho.
Quando acordou, viu-se ao espelho e confirmou a certeza de que nenhum homem a beijaria.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Kittado

Tinha uma amiga com pavor a aranhas, outra com pânico de escaravelhos. A fobia dela, mais angustiante do que as outras, era àquela gatita branca com laçarote vermelho que estava em todo o lado.

Húmus

Deixara escrito: Não me enterrem debaixo de uma placa de mármore. Deixem-me junto das raízes mais profundas de uma árvore, para que a minha morte possa dar vida.
Fizeram-lhe muito pior. Depositaram-lhe o corpo magro num jazigo de cimento, onde lhe vão pôr as flores do costume. Mais cadáveres ali deixados a apodrecer.

sábado, 2 de maio de 2009

Largada de homens

Decorreu ontem, em Baracaldo (País Basco), no encerramento das festas de Nuestra Señora del Carmen, a famosa largada de homens, que registou este ano seis feridos entre os muitos touros que fogem habitualmente das bestas humanas pelas ruas da cidade. Os homens largados, da taberna Cruz Aguirre, contavam entre 80 e 95 quilos. Quatro dos touros feridos sofreram fracturas graves devido a quedas e empurrões. Dois bisontes americanos, que assistiam às festas como turistas, tiveram igualmente de ser hospitalizados, embora com ferimentos ligeiros.

O carvalho e a faia

A faia engravidou involuntariamente do carvalho. Ciumento, o eucalipto chupou-lhes a água toda. Não havia uma fagácia na floresta que concordasse com o namoro. Mas o pior de tudo é que não podiam fugir juntos.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Educadora de infância

- Era uma vez um menino órfão, assaz cortês e benfazejo…
- Pufexóia!...
- Diz lá, Martim!
- Exe menino éia mau?

terça-feira, 28 de abril de 2009

Oculto

Quem diria que, por detrás daqueles olhos luminosos, daquelas sardas irrequietas, daquele riso jovial, estava um cancro a comê-la?

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Tréguas

Era uma guerra que durava há anos, sem interrupção. Até ao dia em que uma bola apareceu a saltitar entre os dois campos.

Reforma

No dia em que passava à reforma, fechou-se num armário e seguiu para a sub-cave com os restantes bens abatidos ao inventário.

domingo, 26 de abril de 2009

Google earth

Activou o programa e foi até África. Passou por rios e lagos, campos e cidades. Até que chegou à montanha virgem, intocada. Observou-a de perto e, entre a vegetação cerrada, vislumbrou um vulto humano. Aumentou a imagem e confirmou a suspeita: era ele próprio.
Tinha-se finalmente encontrado.

Farta

Com as fartas mamas a encherem a roullotte, a vendedora de farturas mostrava-se farta do mundo:
- Cambada de churros!

sábado, 25 de abril de 2009

As calças

Todos os dias vestia as calças de granito da rotina e saía para o trabalho. Até que um dia decidiu vestir as calças de hélio da fantasia - que só as crianças viam - e sair para a vida.

Desaparecido

Desapareceu ontem de sua casa Augusto Silva, de 57 anos. O indivíduo em causa, que se apresentava de chanatas e manga cava com mancha de azeite, sofre de perturbações mentais e é frequentemente acometido por acessos de raiva. Está munido de matraca e garrafão. Pede-se a quem o encontrar que nem pense em informar a família acerca do seu paradeiro.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Sabedoria

Durante uma prédica aos discípulos nos jardins do Academo, afirmou um dia Platão (citado por Aristóteles):
- A Betty Grafenstein ainda aguenta à vontadinha mais um lifting.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Por ela

Por ela acendeu a luz. Por ela foi buscar gelo ao frigorífico. Por ela saltou de um vigésimo andar (embora de pára-quedas). Por ela apanhou um pintassilgo em voo. Por ela domou um dragão. Por ela repôs a árvore na terra e o bife no boi. Por ela deslocou os Himalaias (com acampamentos e sherpas e avalanches e tudo). Por ela fez tudo isso. Mas ela nem sequer reparou que foi por ela que acendeu a luz.

Andaime

O ucraniano sucumbiu à perigosa mistura de vodka com a força da gravidade. O anúncio do funeral pedia alça negra no saco de plástico do “Lidl”.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Sopa de letras

Depois de comer a sopa de letras, o bebé bolsou para a mesa.
Quando se preparava para limpar a sopa, a mãe pôde ler, escrito em massinhas desalinhadas sobre a toalha plastificada: “quero falar”.

Páscoa

Durante a visita pascal, o cruciferário apercebeu-se do coelhinho que se acoitava em fofa moita. Não enjeitando a oportunidade, aplicou-lhe certeiro golpe com a cruz de metal.
Depois, limpou discretamente o sangue do crucifixo, como se limpasse o joelhinho do “Menino” entre dois beijos mais molhados.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Convívio de zurrapas

O “Martini” e o “Ricard” combinaram ir beber um copo e encontraram o “Campari”. Entusiasmados, abusaram da bebida e vomitaram em cima do “Mateus Rosé”. O “Licor Beirão” teve de intervir.

domingo, 19 de abril de 2009

Aventura

Arriscou a entrada naquele mundo desconhecido. Enfrentou obstáculos intransponíveis, atravessou terrenos movediços, mergulhou em profundidades abissais.
Foi só quando a mulher voltou da cozinha que parou de lhe vasculhar a carteira.

Bodas de grafite

Era tal a raiva que acumulara ao longo daqueles quinze anos, que conseguiu matá-la com um lápis da “Ikea”.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

A gruta

Para ouvir os pedidos das crianças, o Pai Natal vivia numa gruta da montanha de Korvatunturi em forma de orelha.
Acontece que, naquele ano, a gruta teve uma otite e boa parte das crianças ficou sem prendas.

Puticlub

Dirigiu-se ao clube situado à saída da cidade espanhola onde ia fazer negócio. Escolheu uma rapariga para uma table dance. Loira, delicada e muito jovem. Pagou-lhe um copo de espumante e, segredando-lhe ao ouvido, poisou-lhe a mão na coxa, que encontrou húmida e rugosa.
Só quando subiram e a mandou despir é que se apercebeu que aquela rapariguinha com a saudade do mar nos olhos era a Pequena Sereia.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Corrida

Dois caracóis decidiram fazer uma corrida.
- O último a chegar ali ao muro ganha.

domingo, 12 de abril de 2009

110 metros barreiras

Para se manter acordada, a ovelha começou a contar homens.

Vertigens

Os macaquinhos que tinha no sótão detestavam que andasse sempre com a cabeça nas nuvens.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Crítico literário

Do alfinete ao pôr-do-sol, para ele tudo era dantesco, homérico, kafkiano ou maquiavélico.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Sardinha em lata

Ao entrar na carruagem do metro, sentiu-se tão apertado e afogueado que se imaginou no campismo, a servir de acompanhamento a um arroz frio de tomate.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Processo penal

Os juízes insistiam em mandá-lo em liberdade. Mas ele arranjava sempre uma forma mais audaciosa de se introduzir na prisão.

A culpa

- E a culpa, senhor Kurt Waldheim?
- A culpa é um bicho enorme e façanhudo, que há que manter debaixo de terra.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Sapatos

Para não depender das boas acções, há muito que tinha guardado um par de sapatos de defunto com asas.

Acordo de cavalheiros

Ao levantar-se para ir beber água, deu com o ladrão no corredor.
Após um momento de impasse, propôs-lhe que levasse só o quadro valioso mas medonho que a mulher pendurara na sala de estar e a colecção de pratas da sogra.
O larápio acedeu.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Banco de jardim

O velho da esquerda solta um traque arrastado. O da direita verifica o telemóvel, julgando ter recebido um SMS em modo de vibração.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Marquise

A sua marquise de alumínio era uma verdadeira fortaleza medieval. Ali mantinha, fechadas a sete chaves, uma coruja-das-torres e uma princesa apaixonada.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Fila indiana

Quando seguia a pé para mais um dia de trabalho, parou para deixar passar um grupo de crianças. Mas a fila indiana de bonés, bibes e carrapitos, interminável carreiro de formigas, não parava de aumentar.
Decidiu então dar a mão a um loirito de óculos e seguir com eles.

terça-feira, 31 de março de 2009

Role model

Sempre tivera uma gritante falta de ambição. Já quando em pequeno assistia com os amigos às sessões de Kung-Fu, era o único que queria ser o Bruce Ly.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Encontro de civilizações

O homem branco desembarcou no Novo Mundo carregado de oferendas: a varíola, a sífilis, o sarampo…

domingo, 29 de março de 2009

Vestes reais

Aconchegando as almofadas de veludo ao fundo do leito real, o camareiro-mor inquiriu o Rei:
- Sua Alteza Real pretende mudar de truces ou faz de novo a “dobradinha”?

sábado, 28 de março de 2009

Catálogo de distúrbios psiquiátricos - A alcatifo-dependência

Andava sempre a cheirar uma amostra de alcatifa. Nos momentos de maior ressaca, tocava à porta de uma solteira de meia-idade e afocinhava logo na alcatifa do hall de entrada.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Árvore genealógica

Ao elaborar a árvore genealógica da família, encontrou um conde, um duque, dois fidalgos cavaleiros e até um mordomo-mor. No século XVI, esperava chegar a um vice-rei.
Deu de caras com um cigano saltimbanco.

quinta-feira, 26 de março de 2009

Pesadelo

Sonhou que acordava no corpo do Ken e que via a Barbie, com a mais berrante das sete nuances de louro e as rugas de uma boneca de 50 anos, a fazer cocó na retrete da sua roullotte cor-de-rosa.

quarta-feira, 25 de março de 2009

O monte dos vendavais

Não podia pendurar ali uma única peça de roupa. Já era o terceiro par de peúgas que lhe voava em dois dias.

A hera

A hera trepou pela parede, entrou pela janela e foi abraçar a velha entrevada que há muito a esperava.

terça-feira, 24 de março de 2009

No McDonald´s

Há muito que o velho nazi frequentava o McDonald´s, sem que alguém desconfiasse do seu passado. Até ao dia em que não resistiu e sugeriu ao gerente hambúrgueres de carne de judeu.

segunda-feira, 23 de março de 2009

"Estrelitas"

Para brilharem mais nos telediscos, os Abba misturavam lantejoulas nos cereais da manhã.

Catálogo de distúrbios psiquiátricos - A tara da hetero-demência

Infiltrava-se em casa de pessoas solitárias com o firme propósito de as enlouquecer: ligava-lhes os chuveiros e as máquinas de lavar, deixava-lhes novos objectos nas mesas e pegadas nos tectos, acordava-as à chapada a meio da noite…

domingo, 22 de março de 2009

Ecografia

O médico julgou tratar-se de um nascituro com três testículos. Mas era só mais um brasileiro que se preparava para nascer com a bola nos pés.

Quase

Se outros quase sempre acertavam, ele quase acertava sempre. Era certinho, falhava sempre por pouco. Garantia que Vasco da Gama descobrira o Caminho Marítimo para a Índia em 1496, que o maior futebolista do mundo era o Cristiano Reinaldo e que o Santuário de Nossa Senhora da Agonia ficava em Viena do Castelo.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Destino traçado

O corpo trespassado do pequeno delinquente foi cair exactamente dentro dos limites da silhueta branca traçada no chão.

quinta-feira, 19 de março de 2009

O chá

Viajou até às plantações da longínqua província de Fujian. Vigiou o repouso da planta do chá enquanto os rebentos se carregavam de óleos essenciais. No dia certo, colheu as folhas mais refinadas e dobrou-as com a ancestral técnica do monge Da Fang. Quando a água pura da montanha de Wuyi atingiu os 85 graus, abençoou a infusão com uma prece ritual.
A bebida tinha todo o sabor de um chá raro e efémero: a harmonia aromática, as notas vegetais intensas, a amplitude do bouquet floral…
Mas a verdadeira luxúria, a luxúria que lhe percorreu o corpo todo quando sorveu o primeiro golo daquele chá primeur, essa veio da espera.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Antanáclase

Deu na TV Cabo que ao cabo de dois anos foi promovido a primeiro-cabo um segundo-cabo de Cabo Ruivo.

terça-feira, 17 de março de 2009

Vida de cão

Sentado à mesa das velhas madames, o buldogue francês contou as novidades, queixou-se de que os perfumes de alta gama para raças de pêlo curto estavam pela hora da morte e despediu-se à pressa, para poder ir à sessão de Spa canino antes de recolher os cachorros na canicreche.

Ficcionário

Sonhando febrilmente, trabalhava dia e noite no Grande Dicionário Ilustrado Sindarin-Verduriano.

domingo, 15 de março de 2009

Catálogo de distúrbios psiquiátricos - A piriscomania

Trazia os bolsos cheios de piriscas. Era na areia da praia que mais gostava de as apanhar. Ao fim do dia, despejava os bolsos num cofre de marfim e madrepérola e apreciava longamente o seu espólio de piriscas-pepitas.

Invasão

Era um osso duro de roer. Foi o que o salvou dos ratos.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Novos tempos

A Terça-feira Gorda emagreceu e a Sexta-feira Santa começou a fumar droga.

quinta-feira, 12 de março de 2009

Superstições

Naquela aldeia, a gillette fugia do buço das velhas como o diabo foge da cruz.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Catálogo de distúrbios psiquiátricos - A psicose de acomodação ao transporte público

Recusava-se sempre a abandonar o transporte público na última paragem. Os motoristas que o conheciam lá o deixavam ficar, quietinho no banco do fundo, à espera de dar mais uma volta.

terça-feira, 10 de março de 2009

Números ímpares

Aos onze anos, gostava dos Cinco e dos Sete. Aos quinze anos, já só pensava nos Três.

Intelectuais

Sartre e Popper encontraram-se um dia para conversar. O diálogo foi apaixonado, a dialéctica profícua. Tema da discussão: futebol.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Modelo

No ramo mais alto da árvore, o pássaro esticou o pescoço e baixou o bico, imitando o Concorde acabado de passar.

domingo, 8 de março de 2009

Capitão Gancho

Deixou de ir à retrete, com medo do crocodilo.

sábado, 7 de março de 2009

Contencioso

Com o intuito de se apropriar da patente da ressurreição, a firma “Santos & Santos, Lda” moveu um processo judicial contra a firma “Deus & Filho, Lda”.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Exigência

A Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO) exige que seja retirada da versão em Braille de “O Principezinho” a frase “Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível para os olhos”.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Agenda de um fauno

07h00 – Assistir à queima da Fénix
09h00 – Passar pelo Xº encontro nacional de duendes, gnomos e afins
12h00 – Assistir à queima da Fénix
15h00 – Apoiar o Desportivo dos Faunos contra o Sport Centaurense
17h00 – Tocar harpa e fugir a trolls
18h30 – Arranjar a gárgula que não escoa
19h30 – Jantar com a harpia Ocípite no “Retiro do bosque”
21h30 – Assistir ao concerto nº 1 em fá menor para flauta de Pã e orquestra

terça-feira, 3 de março de 2009

Casamento real

Em 1708, D. João V de Portugal desposava em Viena D. Maria Ana Josefa de Áustria. Segundo as crónicas da época, a arquiduquesa trajava um vestido da “Penhalta Novias” e o rei um fato da “Jacques Boutiques”.
Na última fila, roía-se de ciúmes o conde Gundacharo Poppone de Dietrichstein.

segunda-feira, 2 de março de 2009

Refugiado

Para poder fugir mais uns quilómetros, fabricou um par de chinelos com garrafas de água espalmadas.

Emigrante

- Põe também este martelo no saco, minha filha, para construíres a nova vida.

domingo, 1 de março de 2009

Memorial

A colónia de formigas tinha sido tão pisada, que à entrada do formigueiro se podia ver um minúsculo memorial ao soldado desconhecido.